A Infraestrutura da Torre

    Uma das coisas que eu mais falei na minha adolescência foi a frase: “Pra quê aprender isto? Nunca vou usar na vida!”. De fato, várias coisas que aprendi ainda não utilizei até hoje, principalmente nas áreas de Humanas e Biológicas. Lembro de uma aula de matemática que a professora nos mostrou a Torre de Hanói. Um quebra-cabeça diferente, com discos,  ordem correta de movimentos e muita matemática envolvida. Para quem não conhece, é uma tábua com três pinos um ao lado do outro e em um 39078fde76432e03b4c26a9a9f6f14b4dos pinos da extremidade são colocados discos com diversos tamanhos, começando pelo maior até o menor. O objetivo é retirar todos os discos de um pino e colocá-los no pino da outra extremidade, um por um e sem deixar que um pino maior fique por cima de um menor. Esse era um quebra-cabeça que até me despertou a curiosidade na época, mas não passou de uma brincadeira de 10 minutos até que eu descobrisse a lógica do brinquedo.

Pois bem, após uns 15 anos a Torre de Hanói entrou na minha vida novamente, mas de uma forma diferente e inesperada. Voltando ao objetivo do brinquedo, em outras palavras, temos que transferir uma estrutura montada de um lugar para outro, sem que afete a integridade da mesma. Recentemente, a empresa em que trabalho passou por uma mudança de sede. Uma empresa de mais de 300 funcionários mudando de casa. Para quem não passou por nada parecido, é só se imaginar mudando de casa com uma família gigantesca, onde ninguém pode ficar sem quarto e cama para dormir, mesa para comer e televisão para assistir. Fora todo este trabalho braçal que nós imaginamos logo de cara quando pensamos em mudança, há o trabalho intelectual que é exigido meses antes.

No meu caso, como integrante do setor de Infraestrutura de TI da empresa, o grande trabalho foi migrar todos os serviços de TI de um local para outro. Mais de 5 TB de banco de dados, mais de 30 servidores entre Windows e Linux, Firewall e links de Internet… Sem que ninguém parasse de trabalhar nem um minuto. O que ajudou é que a empresa trabalha apenas em horário comercial, portanto, o setor de Infraestrutura teve o horário não-comercial para realizar grande parte destas migrações.

Após todo o trabalho intelectual e braçal, um mês já instalados e migrados para a nova sede, parei e pensei instintivamente na Torre de Hanói e a semelhança que há com o meu trabalho e de muitos que estão na área de TI. Vejam só, há regras para este jogo. É um quebra-cabeça diário. Serviços e servidores rodando 24 horas por dia, sem que haja interrupções por falta de planejamento do time de TI. Se há alguém de fora da minha área lendo o que estou escrevendo, informo que em Tecnologia da Informação as coisas não funcionam sozinhas e para sempre. Um serviço que está funcionando hoje, pode precisar de manutenção daqui duas semanas, por falta de espaço em disco, por exemplo. Os funcionários e clientes de uma empresa, consomem cada vez mais seus recursos de tecnologia e o grande objetivo deste quebra-cabeça, é trocar os discos de pino, com o menor número de movimentos possíveis, diminuindo custos e sem parar a operação do jogo.
image001

Com base nestes pensamentos todos, há duas coisas que me chamaram a atenção. A primeira é saber que qualquer assunto novo que aprendemos, seja nas aulas do colégio ou na experiência de trabalho, será útil em algum momento da vida. A segunda é que a Torre de Hanói está muito presente em nossas vidas. Se você tem que sair do carro com um monte de pacotes, o controle do portão e as chaves na mão, inconscientemente você utilizará a regra do jogo da torre. Um por vez, em uma ordem certa, tentando realizar tudo com o menor número de movimentos possíveis, sem deixar nada cair. E é claro, quem trabalha com TI realiza isso mentalmente todos os dias. Com migrações de ambientes de serviços, atualização dos sistemas, manutenções programadas e não programadas. Na resolução dos problemas, há sempre os momentos de mudanças ordenadas para que o objetivo seja alcançado.

Portanto, joguem novamente o jogo da Torre de Hanói e tentem identificar os momentos em que você utiliza o mesmo conceito no seu cotidiano. Eu já reconheci muitos e continuo vivenciando estas situações que passavam despercebidas até então. Quem é da área de tecnologia, perceba quantas vezes você precisa realizar manobras com seus recursos tecnológicos e veja quão importante é este jogo em sua vida. Perceba o diferencial entre as pessoas que conseguem atingir o objetivo do jogo em menos movimentos que os outros. Pode ser o seu diferencial…. pode ser o ponto a melhorar. Com certeza irei pensar e planejar mais as minhas ações, para que sejam executadas com mais eficiência a cada dia que passa.

Ótimo jogo a todos!

Link para jogar online: http://www.ufrgs.br/psicoeduc/hanoi/

Grande abraço e até mais!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.