Descobrindo… os Backups!

Imaginem uma pessoa que, na infância e adolescência, não conseguiu acompanhar nenhum desenho ou seriado, do inicio ao fim, por que não conseguia fazer as mesmas coisas todos os dias, por exemplo, sentar na frente da TV sempre no mesmo horário pra ver algum programa. Eu simplesmente não sou capaz de fazer sempre as mesmas coisas, todos os dias. A conclusão óbvia é que eu não suporto rotinas. As vezes eu acho que esqueceram de colocar uma agenda no meu cérebro (Mãe e Pai, não foi culpa de vocês).
Agora que vocês me conhecem um pouco mais, tentem me imaginar sentado na frente de um computador, fazendo as mesmas tarefas todos os dias…nos mesmos horários! Desesperador, não é? Infelizmente a área que eu trabalho exige algumas tarefas rotineiras e uma delas é o famoso Backup!

backup-100-de-seguranca-fotoSe traduzido ao pé da letra, a expressão Backup seria “Apoio” ou “Garantia” e, apesar dessas duas palavras também representarem o que é um Backup computacional, em TI a tradução é mais utilizada como “Cópia de Segurança”. O grande benefício do backup é ter todos os seus dados e arquivos em garantia. Para quem depende destas informações, é imprescindível que haja cópia, senão várias cópias, de tudo o que é de mais importante para o funcionamento pleno de uma empresa ou até de uma residência. No momento em que vivemos, ano de 2015, imaginem a quantidade de dados que geramos todos os dias. Em casa ou no trabalho, criamos planilhas, documentos, vídeos, imagens, códigos, scripts e apresentações… E armazenamos aonde for mais fácil. Na própria estação de trabalho, pen drive, HD Externo, na nuvem.

Agora, juntando estas duas informações… eu e o Backup! Sim, precisei aprender a ter algumas rotinas. Na verdade, nestes anos de experiência, percebi que o grande desafio de realizar backups não é a rotina. Mais complexo que isso é criar a operação completa para que o backup seja confiável. Dentro da operação é preciso pensar nas datas em que serão realizadas as cópias, quais arquivos serão copiados (O que é muito difícil em uma empresa), aonde será armazenado e quem será o responsável por estes procedimentos. A grande ajuda vem das diversas ferramentas que tem este objetivo, fazer cópias de arquivos.

Até hoje eu trabalhei com algumas ferramentas de backup, sendo elas os Scripts criados em linha de comando (Tanto no Windows quanto no Linux), o Cobian (Ferramenta gratuita) e o Backup Exec da Symantec. A minha visão sobre este assunto, assim como em sistemas operacionais, é que cada um deve encontrar a melhor forma de ter garantia de existência dos dados mais importantes. Cada ferramenta tem um custo, seja de licença de uso ou operacional. Para implantar um backup em linha de comando, com certeza demandará mais tempo do que com o Backup Exec, mas com certeza terá menor custo. Qual dos dois é melhor? Depende da necessidade, orçamento, tempo, criticidade de cada um.

Há uma frase famosa dentro da comunidade de tecnologia que fala o seguinte: “Backup bom é aquele que não é utilizado”, ou seja, é muito melhor manter uma estrutura de servidores e serviços nas melhores condições possíveis, para que o risco de perda de dados seja cada vez menor. Utilizar um backup significa que algo está errado: Políticas de segurança, equipamentos antigos, má utilização de recursos ou, no pior dos casos, um ambiente passível de incêndio ou inundação. É claro que existem os casos imprevisíveis, como desastres ambientais, mas na maioria das vezes, a má administração dos recursos de TI, é o grande motivo para que aconteça incidentes dentro das organizações.

backup-seguroApós a criação da operação, é feito o agendamento das rotinas, que acontecerão nas datas programadas. Os sistemas mais robustos já possuem opções fáceis para isto, mas o administrador do backup ainda tem a responsabilidade de verificar a integridade das cópias e realizar testes de restauração das mesmas. As rotinas nunca devem ser abandonadas, pois os incidentes podem acontecer a qualquer minuto. Com certeza algumas pessoas não ficarão satisfeitas se souberem que seus arquivos foram perdidos definitivamente.

Bom, essa é a minha relação com o mundo das rotinas computacionais. Em breve publicarei mais sobre os métodos que já utilizei para fazer backups. Um deles, inclusive, foi meu TCC na faculdade.

Grande abraço e até logo!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.